quinta-feira, 7 de maio de 2009

Súplica soteropolitana



Súplica cearense
(Luiz Gonzaga)

Oh Deus, perdoe este pobre coitado
Que de joelhos rezou um bocado
Pedindo pra chuva cair, cair sem parar

Oh Deus, será que o senhor se zangou
E só por isso que o sol se arretirou
Fazendo cair toda chuva que há

Oh Senhor, eu pedi para o sol se esconder um pouquinho
Pedi pra chover, mas chover de mansinho
Pra ver se nascia uma planta, uma planta no chão

Oh meu Deus, se eu não rezei direito,
A culpa é do sujeito
Desse pobre que nem sabe fazer oração

Meu Deus, perdoe eu encher os meus olhos de água
E ter-lhe pedido cheio de mágoa
Pro sol inclemente se arretirar, retirar

Desculpe eu pedir a toda hora pra chegar o inverno
E agora o inferno queima o meu humilde Ceará

Oh Senhor, eu pedi para o sol se esconder um pouquinho
Pedi pra chover, mas chover de mansinho
Pra ver se nascia uma planta, uma planta no chão ê ê

Ganancia demais
A chuva não cai mais
Corro demais
Política demais
Tristeza demais
Interesse tem demais
Ganancia demais
A Fome demais
A Falta demais
Promessa demais
Seca demais
A chuva não tem Mais
Ganancia demais
Chuva tem não tem não tem é demais
Pobreza demais
Povo tem demais
O povo sofre demais...


Dica, São Pedro.
Eu reclamava do calor, eu sei, mas não precisava exagerar.

Salvador é de papel e parece uma bacia, todos os barrancos deslizam e a cidade fica toda alagada.

Pega leve. ;D

Um comentário:

JaCoNa disse...

"Salvador é de papel e parece uma bacia" Essa eh de longe a frase mais linda ki jah ouvi nos ultimos tempo: poesia pura! sahaushaushaushaushsauhaushuasas

Gostei do blog, moço! Vou seguir tah?? Sempre passarei akew p/ prestigiar u trabalho do caro colega! sahsauhsauas

xeru ;)