terça-feira, 28 de julho de 2009

O que um torcedor precisa saber

Pegando o gancho do outro texto, resolvi fazer uma listinha com 10 itens para facilitar a vida dos novos torcedores.

O que um torcedor precisa saber:


1- Quem vive de passado é museu, e quem vive de presente é Yemanjá (Isso quer dizer que se seu time tem um passado glorioso, refute o presente, se ele tem um presente glorioso, ignore o passado);


2- A imprensa está sempre contra seu time (Nunca, em hipótese alguma, você deve achar que algum programa está favorecendo seu time, se estão falando bem é para ocultar os erros, se estão falando mal, é para tumultuar o ambiente);


3- Sempre que seu time perder, saia do estádio falando que não volta mais lá;


4- No jogo seguinte ignore o item três;


5- Se o juiz errar a favor de seu time, é normal, ele é humano. Se errar contra seu time, é um safado, ladrão, descarado, máfia do apito etc;


6- Árbitro (homem) é sempre filho da put*, se for mulher é put* (poupe a mãe dela);


7- A culpa é sempre do juiz;


8- Torne épicas todas as conquistas de seu time;


9- Desmereça todas as conquistas de seu rival;


10- Clássico é clássico, e vice-versa.


Algumas podem ter saído forçada, mas é basicamente isso. Quem torce por algum time tem que saber isso.

;D

O Futebol e a Torcida



Bendito seja quem inventou o futebol. Talvez não exista nada mais sociável do que uma partida de futebol. Eu, que sempre fui muito tímido, sempre me enturmava nos colégios e ruas novas graças ao futebol. Dentro de campo todo mundo se conhece, a linguagem do futebol é universal. Dei várias voltas falando do futebol, mas o que eu quero falar mesmo, não é do futebol em si, mas sim da torcida. Se o cara que inventou o futebol merece ir pro céu, o que inventou a torcida merece 40 virgens e uma casa na Barra.


Pode parecer estranho, mas torcer por um time de futebol, muitas vezes é melhor do que o próprio ato de jogar futebol. Primeiro, para torcer você não precisa saber jogar, basta sentir o futebol, a emoção de um triunfo e o sofrimento de uma derrota. Segundo, para torcer, nem ao menos entender você precisa, basta saber o que é gol, quando é gol e que a culpa é sempre do juiz. Pra finalizar, torcer é melhor porque a culpa nunca será sua.


Torcer é muito bom. Times não é um conjunto de jogadores, é uma Nação. Camisa não é um vestuário, é um manto sagrado. Cores não são simples cores, são as cores do seu sangue. O estádio não é uma praça esportiva, é um templo sagrado. Torcedor, não é torcedor, é um fiel. Para torcer você precisa apenas sentir o futebol. Sentir a paixão correr em suas veias. É ficar feliz a cada triunfo. É ter seu final de semana estragado por causa de uma derrota. É zuar o rival. É ser zuado. Torcer é a verdadeira graça do futebol.


Ah, também não se pode esquecer uma coisa. Torcer por um time de futebol, implica em odiar outro. Não precisa saber o porquê, apenas odeie. Essa é a única função da existência dele. Você também ficará feliz quando ele perder. Sempre que seu time perder, você tem que torcer pela derrota do seu rival, é a única maneira conhecida até hoje de salvar seu final de semana e também a sua segunda-feira.


Torcer é isso, é amar, é odiar, é esperar horas na fila por ingresso, é xingar, é prometer nunca mais voltar no estádio, é não cumprir esse tipo de promessa etc. Enfim torcer é muito melhor do que jogar.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Uhul férias





Ahhh, enfim férias. Tem algo melhor que férias? Sim, um monte de coisas, mas já que estou oficialmente de férias, no momento é a melhor coisa do mundo. Acordar tarde, dormir tarde, não ser obrigado a ler um monte de texto, não ter que pegar aquele Barra às 6h30. As férias trazem consigo tanta coisa boa que eu nem consigo listar. Mas as férias, pelo menos as minhas, são divididas em três partes: o começo, o meio e o fim.

O começo tudo são flores, acordar tarde, dormir tarde, assistir àquele jogo quarta a noite, sair sem preocupações acadêmicas, enfim é só diversão. Esse é o melhor momento das férias, deveria permanecer para sempre, você é uma pessoa feliz, faz tudo que gostaria de fazer, mas não fazia por que era impedido por responsabilidades acadêmicas ou trabalho. Tem prazer em acordar tarde e dormir tarde, e concorda que a melhor vida é a de vagabundo.

O segundo momento, o meio, é o pior. O tédio toma conta de sua rotina, tudo já está enjoado, nada de novo aparece. Dormir tarde só porque não dá sono mais cedo, internet é repetitiva, televisão já está manjada, sair pode ser uma boa opção, mas muitas vezes é difícil ter vontade de sair. Mas isso não é pior, a situação só fica crítica quando você começa a sentir saudades de sua antiga rotina, acordar cedo, ônibus cheio (ok, isso ninguém sente saudades, mas é rotina), estudar, torcer para ter uma aula vaga. Enfim, quando você começa a sentir saudades do ambiente acadêmico/escola/trabalho é porque está ficando sinistro. Minha nova tática para superar essa fase será pegar cada prova chata que me fez ficar nervoso, sobretudo a prova final, para ler. O rascunho ta aqui guardado, na primeira saudade, ele está engatilhado, lembrarei do dia que tive que ir para a faculdade apenas para responder aquela maldita prova. Nesse momento não se pode esquecer que você não entende como alguém pode ser vagabundo, é entediante.

O terceiro momento, o fim, também não é dos melhores. Essa fase é quando já está perto do dia de retornar àquela velha rotina. Você começa a achar que poderia ter aproveitado as férias de um jeito melhor, faltou fazer isso ou aquilo. Arrepende-se de cada vez que torceu para que voltassem as aulas, enfim, é um momento de reflexão e tristeza. Mas essa é a vida, tudo que é bom, dura pouco, cerca de um mês para ser mais exato.

Eu ainda estou na primeira fase, logo estarei na segunda e, infelizmente, chegará a terceira fase, mas daqui até lá, eu curtirei bastante, inclusive hoje, poderei voltar a dormir e acordar tarde. \o/